top of page
  • Foto do escritorDakila News

Eclipse solar com anel de fogo

Atualizado: 15 de out. de 2023


Eclipse é uma palavra do âmbito da astronomia que significa o desaparecimento temporário de um astro, causado pelo posicionamento de um corpo celeste entre o astro e o observador ou entre o astro e o Sol.

A palavra eclipse tem origem no grego ékleipsis, que indicava o ato de sair ou não aparecer em algum lugar. Um dos principais eventos astronômicos de 2023, o eclipse anular do Sol que acontece no dia 14 de outubro será visível em todo o Brasil, de forma parcial ou total, dependendo da região. Será uma grande oportunidade de observá-lo, pois na última vez em que ele ocorreu, em 2021, foi registrado apenas na região do Ártico. Um eclipse anular do sol é um fenômeno astronômico em que a lua se alinha entre a Terra e o sol, cobrindo a maior parte do disco solar, mas deixando apenas um "anel de fogo" brilhante ao redor da borda. Já um eclipse total do sol ocorre quando a lua cobre completamente o disco solar, deixando apenas a coroa solar visível. A principal diferença é que no eclipse anular a Lua está mais distante da Terra e seu diâmetro aparente não fica exatamente igual ao diâmetro aparente do Sol

De acordo com a astrônoma, Servidora do Observatório Nacional, atualmente gestora da Divisão de Comunicação e Popularização da Ciência (DICOP) - Josina Nascimento, explica que: “Tanto no eclipse total quanto no anular a lua está alinhada entre a Terra e o sol, bloqueando toda ou a maior parte da luz do sol em uma parte da superfície da Terra. A sombra mais escura, onde toda a luz solar é bloqueada, é chamada umbra. Em torno da umbra se define a sombra mais clara, a penumbra, onde a luz solar é parcialmente bloqueada e o eclipse é visto como parcial.” Esse tipo de eclipse ocorre quando a lua está em seu apogeu, o ponto mais distante de sua órbita da Terra. Nesse momento, a lua parece menor do que o sol no céu, o que permite que o "anel de fogo" seja visível durante o eclipse. Os eclipses anulares do sol não são raros, a questão é que é visível como anular em apenas uma faixa estreita da Terra. E numa faixa maior é visto como parcial. O mesmo ocorre com os eclipses totais do sol.

O eclipse anular terá visão parcial no Brasil em boa parte das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Para quem mora nestas áreas, vale a pena olhar para o céu por volta das 15h, no dia 14 de outubro, tendo a chance de ver parte do fenômeno, desde que as condições climáticas colaborem. Já os residentes das regiões Norte e Nordeste poderão visualizar o anel de fogo ao redor do Sol em sua totalidade, durante alguns minutos. Cidades como João Pessoa (PB) e Natal (RN) estão entre os melhores locais de observação do país. Independente da região, vale lembrar que a observação do eclipse requer cuidados, não sendo recomendado olhar diretamente para o Sol, o que pode causar danos permanentes à visão. Há filtros especiais para esta atividade, atendendo a padrões de segurança internacionais, para uso em câmeras, binóculos e telescópios.

NUNCA UTILIZE PARA VER O SOL: óculos escuros, chapas de raio-x, negativos de filmes antigos, filtros polarizados ou de densidade neutra ou variável; vidros escuros; ou ainda, através de câmeras digitais, binóculos ou telescópios sem filtros adequados na objetiva ou abertura desses equipamentos. Tipo 1 – filtro da máscara de soldador (solução econômica e segura) Tipo 2 – filtro poliéster aluminizado Tipo 3 – filtro polímero preto Tipo 4 – projeção pinhole com papel cartão Tipo 5 – projeção pinhole com caixa de papelão ATENÇÃO: para uma observação solar com segurança, NÃO VEJA O SOL por longos períodos mesmo ao utilizar os tipos de filtros citados acima, ou qualquer outro tipo de filtro. Recomenda-se vê-lo por até trinta segundos e pausar a observação por no mínimo um minuto. Técnicos do Centro Tecnológico de Zigurats (CTZ) irão para o Nordeste e outros pontos do Brasil afim de registrar o eclipse em tempo real, assim como no observatório de Zigurats haverá a observação do fenômeno e filmagens.

Em 2024 haverá um eclipse total do Sol visível como total nos Estados Unidos e depois em 2 de outubro um eclipse anular do sol visível como anular no extremo sul da América do Sul. Somente em 6 de fevereiro de 2028 haverá um outro eclipse anular visível no Brasil e a faixa de anularidade passará somente pela região norte brasileira. REFERÊNCIAS: https://www.bing.com/search?pglt=2081&q=eclipse+de+14+de+outubro&cvid=e407c13963d54a1eaa4212c9f1962a0e&gs_lcrp=EgZjaHJvbWUyBggAEEUYOTIECAEQADIECAIQANIBCDc0MjlqMGoxqAIAsAIA&FORM=ANNTA1&PC=LCTS https://www.gov.br/observatorio/pt-br/assuntos/noticias/o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-eclipse-anular-do-sol-de-outubro-de-2023 https://www.tecmundo.com.br/ciencia/264991-eclipse-anular-outubro-visivel-brasil.htm https://oglobo.globo.com/brasil/noticia/2023/10/06/eclipse-solar-anular-entenda-o-fenomeno-previsto-para-14-de-outubro-de-2023.ghtml https://www.significados.com.br/eclipse/ https://www.astrope.com.br/como-observar-um-eclipse-solar-com-seguranca/

Σχόλια


bottom of page