top of page
  • Foto do escritorDakila News

Arte rupestre com mais de 12.500 anos, encontrada na Colômbia

Atualizado: 23 de ago. de 2023


Uma das maiores coleções de arte rupestre do mundo, foi encontrada na Amazônia Colombiana por uma equipe britânico-colombiana de arqueólogos deu início as escavações entre 2017 e 2018. O projeto é financiado pelo Conselho Europeu de Pesquisa e vai até 2024. Além disso, a equipe se encontra sob liderança do professor de arqueologia da Universidade de Exeter na Inglaterra, José Iriarte.


Variando do padrão europeu, feito em cavernas escuras, a pintura rupestre na Amazônia se encontra em Tepuis, ao ar livre. Tepui é o nome dado aos enormes penhascos de pedra cinza pálido, encontrados na região amazônica.


Se estendendo por quase 13km, foram registradas cenas de dança, comida e retratos de animais extintos na Serranía La Lindosa, Colômbia. As pinturas foram encontradas em três cavernas rochosas, sendo a maior delas chamada de Cerro Azul, onde estão dispostos 12 painéis e diversos pictogramas de humanos, plantas, animais, impressões de mãos e padrões geométricos.


Essa obras indicam como os primeiros habitantes da área teriam coexistido com a megafauna da Era do Gelo, isso porque muitos animais já extintos foram retratados nessas paredes como: bichos-preguiça gigantes, palaeolamas, cavalos da era glacial e até um mastodonte.


Apesar de não ser possível realizar a datação dessas pinturas através do carbono 14, grande parte desses animais representados foram extintos a mais de 12.000 anos atrás.


Favorecendo essa hipótese, a datação dos materiais orgânicos remanescentes da época no local fez com que os arqueólogos estimassem uma datação de 12.500 anos para as obras paleolíticas.

“As pinturas dão um vislumbre vívido e emocionante da vida dessas comunidades. É inacreditável para nós hoje pensar que elas viviam entre e caçavam herbívoros gigantes, alguns do tamanho de um carro pequeno.”, afirmou o arqueólogo, Mark Robinson.


Os especialistas constataram que os artistas se utilizaram do fogo para esfoliar a rocha no intuito de fazer superfícies planas para pintar. Pesquisadores também encontraram evidências de uso da terracota avermelhada como tintura, ademais foram encontrados pedaços de ocre raspados para a fabricação de tintas. Outro fato curioso é que alguns desenhos se localizam tão no alto das rochas que a observação só pode ser realizada com drones.


O início dessa pesquisa foi mantido em segredo, pois tudo estava sendo filmado para uma série de televisão chamado de "Jungle Mystery: Lost Kingdoms of Amazon", que foi reproduzido no Canal 4 do Reino Unido.


Iriarte afirma que o objetivo inicial é documentar toda a arte rupestre da área e identificar outros animais retratados. Independente disso, a maior preocupação quando nos deparamos com essas preciosidades arqueológicas é a conservação da região, almejando a menor interferência possível no meio ambiente.


Além dessa descoberta, outros dois locais apresentaram desenhos semelhantes: Cerro Motoya e Limoncilloz. Porém estes locais estavam mais desbotados.

Esses novos achados também se assemelham com as pinturas encontradas no Parque Nacional Chiribiquete. O paredão encontrado lá foi batizado como "Capela Sistina da Antiguidade".



Referências:

Comments


bottom of page