top of page
  • Foto do escritorDakila News

Primeira reunião pública da NASA sobre OVNIS

Atualizado: 23 de ago. de 2023

Nesta quarta-feira (31) a Agência Aeroespacial dos Estados Unidos (NASA), realizou uma conferência pública, com transmissão online pela primeira vez, onde reuniu um grupo de especialistas para discutir e apresentar os primeiros resultados das investigações sobre (OVNIs) do grupo de estudos especializado do governo dos EUA. Em julho do ano passado, o Departamento de Defesa (DoD) do país anunciou a criação de um escritório para rastrear os atualmente denominados fenômenos aéreos não identificados (UAPs).

O órgão é composto por 16 membros, entre especialistas de áreas que vão da física à astrobiologia, que têm a função de examinar avistamentos e outros dados coletados por setores governamentais e comerciais civis. Segundo a NASA, o foco da sessão pública, que teve quatro horas de duração, foi apresentar “deliberações finais” antes que a equipe publique um relatório oficial, planejado para ser divulgado até o fim de julho. Na abertura do evento, Daniel Evans, vice-administrador associado adjunto de pesquisa na Diretoria de Missões Científicas da agência espacial, observou que, como o interesse público nos OVNIs é grande, a NASA tem a responsabilidade de dar o "escrutínio científico e rigoroso" que o assunto precisa.

Os cientistas explicaram que ainda há escassez de dados úteis e de qualidade sobre os avistamentos.


"Os esforços atuais de coleta de dados sobre UAPs são assistemáticos e fragmentados em várias agências, muitas vezes usando instrumentos não calibrados para coleta de dados científicos", disse David Spergel, que lidera o grupo de trabalho da Nasa formado em 2022 para examinar as informações existentes sobre os fenômenos.


Spergel ainda afirmou que o grupo "sente que muitos eventos permanecem não relatados". Uma das possíveis explicações para isso é o estigma que ronda o assunto. Desconfiança, deboche e teorias da conspiração, muitas vezes, acabam impedindo ou dificultando um diálogo sobre UAPs com a seriedade que a ciência exige.


"Os pilotos comerciais, por exemplo, relutam muito em relatar anomalias. E um de nossos objetivos, é ter a Nasa desempenhando um papel, e remover o estigma e obter dados de alta qualidade", disse o cientista. A partir do painel realizado, o grupo também quis encorajar os pilotos de linhas aéreas e militares se manifestarem quando virem um objeto não identificado, sem temer constrangimento. "Se eu puder resumir o que aprendemos até então em uma frase seria a seguinte: nós precisamos de dados de mais qualidade", destacou Spergel.

OVNIs / UFOs filmados pela webcam da Estação Espacial Internacional Uma forma de fomentar os dados sobre os aparecimentos seria incentivando a própria população a compartilhar os seus relatos. A sugestão de Spergel seria um aplicativo de celular, que permitiria a coleta de dados.


"Existem de três a quatro bilhões de telefones celulares no mundo", disse Spergel. "Os telefones celulares não gravam apenas imagens, estamos todos acostumados com câmeras de celulares, mas eles medem o campo magnético local, são gravitômetros, medem som, codificam uma quantidade enorme de informações sobre o ambiente ao seu redor", argumentou o cientista.



"Se você tem algo visto por vários telefones celulares, com bons dados de registro de data e hora, em vários ângulos, pode inferir a localização e a velocidade desse objeto", disse Spergel. "Na maioria das vezes, isso dirá que é um avião, é um balão, seja o que for. E se for algo novo, você tem dados de alta qualidade e uniformemente selecionados que podem ser usados.", complementou.


Com a ferramenta, os dados podem ser combinados com informações coletadas pelos radares oficiais e dados obtidos a partir de outros sensores, para poder filtrar o que realmente é importante, eliminando o que pode ser normal, como um balão, por exemplo. Assim, a agência conseguiria ter acesso a um número muito maior de dados, com potencial para novas descobertas.


De acordo com a agência de notícias Reuters, o estudo é separado de uma investigação recém-formalizada baseada no Pentágono de fenômenos aéreos não identificados documentados nos últimos anos por aviadores militares e analisados por autoridades de defesa e inteligência dos EUA.

Ambos os levantamentos destacam um ponto de virada para o governo depois de décadas gastas desviando, desmascarando e desacreditando avistamentos de objetos voadores não identificados – há muito associados a noções de discos voadores e alienígenas – que datam da década de 1940.

Na visão de Dakila Pesquisas, não se passa de um teatro dizer "não temos provas suficientes e os avistamentos feitos pela população não podem ser usados como provas, somente pode-se afirmar com veemência a existência de presença extraterrestre com uma pesquisa mais apronfundada." Movimentações no céu, nos mares e na terra, acontecem desde muito tempo. O que não faltam são provas.


Desenhos em matas, fazendas (Agroglifos), construções megalíticas (Pirâmides, cidades subterrâneas, submersas...), gigantes petrificados..., entre outras provas físicas, são simplesmente ignoradas por essas instituições. Quem teria construído isso tudo se não uma civilização mais avançada técnologicamente?



A maioria das empresas, agências governamentais... escondem, ocultam, a verdade da população. Porque querem fazer os habitantes dessa terra de massa de manobra, e se todos souberem da verdade que existe, deixarão de serem usados como marionetes. E com isso, despertarão dessa lavagem cerebral!

Há vida fora da terra sim! E Dakila já provou tudo isso! Dakila Pesquisas vem desvelando por partes desde 1999 o conhecimento escondido da humanidade.

Junte-se a nós, venha fazer a diferença. Contribua com o seu conhecimento! Juntos somos mais fortes! Faça parte dessa unificação de conhecimento! Busque conhecimento!

Komentarze


bottom of page